segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Astronomia em nosso dia a dia.


Dificilmente alguém não se encanta ao obeservar as estrelas. O que são? Onde estão? São perguntas que fazemos quase que automaticamente.
Na linguagem popular estrela nada mais são do que alguns pontos iluminados no céu. Não raro um aluno, principalmente de 5ª série, pergunta? O tio! Por que as estrelas não caem?
E lá vai eu outra vez.
Começo pelo nosso sistema solar. Nele localizo o sol, nossa única estrela, um grande globo de gás que possui luz própria devido as reações nucleares em seu centro. Com 1,4 bilhões de quilômetros de diâmetro, um milhão de vezes maior que a Terra, sua força de gravidade mantém os planetas orbitando ao seu redor.
Esse nosso pequeno sistema solar: Sol (estrela), oito planetas (Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno) dois planetóides (Plutão, que perdeu a categoria de planeta há pouco tempo e Sedna) é apenas o quintal de nossa casa.
A estrela mais próxima da nossa é Alfa de Centauro, localizada a uns 4 anos-luz do Sol . Ela é uma das estrelas mais brilhantes do céu, podendo ser melhor visualizada no outono, próxima ao prolongamento leste do braço menor do Cruzeiro do Sul.
No entanto, a primeiríssima em brilho à olho nu localiza-se na Costelação de Cão Maior, chama-se Sirius, bem próxima à Constelação de Orion. Podemos localiza-la num prolongamento do conjunto de estrelas que chamamos "Três Marias".
Saindo um pouquinho mais longe do nosso quintal temos a nossa galáxia.
Nossa Galáxia. A Via Láctea.
A forma aproximada de nossa galáxia é de um disco que possui um movimento de rotação em torno do centro. Esse disco tem 100.000 anos luz e podemos notá-lo com certa precisão em locais escuras em noites sem nuvens, pecebe-se uma quantidade maior de estrelas numa determinada direção e se afastamos o olho desse local a quantidade diminui, essas estrelas formam a Via Láctea.
Na Via Látea temos em torno de 100 bilhões de estrelas, algumas muito curiosas. Sirius (que já falamos) tem um companheira - Sirius B - possui luminosidade bem menor que a do nosso Sol e tem aproximadamente o tamanho da Terra. Ela é conhecidada como Anã Branca "um volume equivalente ao de uma caixa de fósforo em Sirius B conteria uma massa de cerca de 10 toneladas".
Vamos um pouco mais longe.
Nossa galáxia se encontra num grupo local, que é um aglomerado de galáxias. Contém mais de 30 galáxias dentre elas as duas Nuvens de Magalhães, localizada a 200.000 anos-luz de nós.
Nesse grupo local o destaque é para a galáxia de Andrômeda, como a nossa, é uma galáxia em espiral.
Agora, se proceguisemos, fugiria dessa proposta de apontamento.
A título de conclusão, só há 35% de matéria no universo, deste percentual apenas 5% é visível (bariônica) e 30% é invisível ( não-bariônica) ou escura, matéria que ainda desconhecemos.

Fontes:
FRIAÇA, Amâncio C. S. et.al. (orgs). Astronomia: Uma visão geral do Universo. 2ed.São Paulo: Edusp, 2006. pp. 13-20.
OXLADE, Christopher. Estrelas e galáxias [trad. Luciano Vieira Machado] São Paulo: Moderna, 1998.
Imagem:
Querem saber mais sobre Astronomia?
Acessem:
Ano Internacional da Astronomia-2009
Museu de Astronomia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada