terça-feira, 29 de setembro de 2009

Geografia do estado de São Paulo

O estado de São Paulo, pode-se dizer, nasce com a Vila de São Vicente - a cidade mais antiga do Brasil- no início praticava-se uma agricultura de subsistência e pouco contado havia com outras capitanias que ficavam mais próximas da Europa.
Depois, partiram de São Paulo os bandeirantes que foram um dos responsáveis pela ampliação do território brasileiro, descobriram ouro e pedras preciosas e ultrapassaram a linha de Tordesinhas.
O relativo isolamento da antiga capitania foi um dos fatores decisivos para que seus habitantes se lançassem em busca de novos horizontes e novas perspectivas, e assim foi feito. Estava plantado o embrião do sucesso econômico do estado.
O estado também foi privilegiado pela cultura do café que trouxe o progresso econômico. A rubiaceia começou a penetrar no estado pelo vale do rio Paraíba do Sul e logo alcançou o planalto paulista, de orografia mais plana e solos férteis. Era o terreno perfeito para tal cultura e logo o estado se tornou o maior produtor mundial de café.
O café trouxe, além da riqueza, a infraestrutura necessária ao escoamento do produto. Após a crise do café, essa infraestrutura e o capital acumulado serviram de base para a industrialização do estado.

Bases físicas.[1]

Clima.

O clima predominante no estado de São Paulo é o tropical, com variações dependendo da região. No litoral é mais úmido, para o interior do estado predomina o tropical típico e nas regiões mais altas ocorre o clima tropical de altitude. Em condições de normalidade a temperatura no estado fica ente 18° e 20° em média, com precipitações médias entre 1.000 e 2.000 mm anuais.

Vegetação.

A vegetação que predominava originalmente era, majoritariamente, a Mata Atlântica, com áreas de cerrado, campos e nos lugares mais altos ocorrendo araucárias. Hoje essas vegetações estão muito alteradas, devido ao processo de urbanização e as práticas agrícolas. Os lugares mais preservados são o vale do Ribeira e os relevos mais íngremes da serra do mar e da mantiqueira.

Relevo.

No estado predomina as seguintes unidades de relevo: planaltos e chapadas da bacia do Paraná, depressão periférica, planaltos e serras do Atlântico leste sudeste. Sendo que entre a depressão periférica e os planaltos e chapadas da bacia do Paraná (plananto ocidental) ocorre um relevo de cuestas basálticas, próximo ao litoral também ocorre uma unidade de relevo denominada províncias costeiras.

Hidrografia.

O relevo, de modo geral, é mais alto nas proximidades do oceano, esse fator direciona a hidrografia, assim, muitos rios paulistas nascem próximos ao oceano e se diregem para o interior, exemplo clássico é o Tietê. Com essas características esses rios serviram para as primeiras penetrações no território.
Nos dias de hoje esses rios são amplamente utilizados para produção de energia, com destaque para o Tietê, suas barragens também são usadas para lazer, visto que formam grandes lagos onde se constrõem as usinas. Principais rios: Tietê, Grande, Paranaíba do Sul, Paranapanema, etc.

Indústria e agropecuária.

Hoje o estado de São Paulo é de longe o mais industrializado do Brasil. Essa industrialização concentra-se próximo a região metropolitana de São Paulo, na região de Campinas, nos eixos rodoviários Anhanguera-Bandeirantes, Anchieta-Imigrantes, Dutra, Castelo Branco e Washingnton Luís, além de outros pontos isolados como importantes cidades do interior: Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Marília, Bauru, etc.

O estado de São Paulo também se destaca na agropecuária participando com 19,9 % na produção agricola brasileira (Ministério da Agricultura aputo DEMETRIO, Magnoli; ARAUJO, Regina, 2005. p. 228.)

Vejam o mapa da organização do espaço agropecuário no estado.





A parte verde refere-se a agricultura comercial moderna, as estrelas representam agroindústria canavieira, os quadrados agroindústria da laranja, a parte rachurada de verde mais escuro (noroeste do estado) pecuária de corte modernizada, o amarelo no extremo leste, bacia leiteira e na região de Registro percebe-se uma significativa produção de chá.



Vejamos alguns dados do estado de São Paulo.

Capital - São Paulo
Área (km²) - 248.209,426
Número de Municípios - 645
População Estimada 2007 - 39.827.570 População estimada em setembro de 2009 - 41.756.319

(IBGE, 2007)

Urbanização e cidades.

São Paulo também se destaca por possuir importantes cidades, estas exercem influência que extrapolam o próprio estado, cidades que são centros regionais, centros de pesquisas tecnológicas, etc.

Vejamos as 10 maiores [2] cidades do estado de São Paulo excetuando a região metropolitana, que em 2008 possuia 19.697.337 habitantes. (http://www.planejamento.sp.gov.br/des/textos8/RMSP.pdf)

1º Campinas 1.064.669

2º São José dos Campos 615.871

3º Sorocaba 584.313

4º Ribeirão Preto 563.107

5º Sao Jose do Rio Preto 419.632

6º Santos 417.098

7º Piracicaba 368.843

8º Bauru 359.429

9º Jundiaí 349.929

10º Franca 330.938


(IBGE, 2009)


Fontes:

ROSS, Jurandir L. Sanches. (org) Geografia do Brasil. São Paulo: Edusp,1998.

Atlas Geográfico Escolar.IBEP,2008.

http://media.folha.uol.com.br/cotidiano/2009/08/14/estimativas_das_populacoes.pdf

MAGNOLI, Demétrio; ARAUJO, Regina. Geografia: a construção do mundo: geografia geral e do Brasil. São Paulo: Moderna, 2005. (mapa p.320)

http://www.bibliotecavirtual.sp.gov.br/saopaulo-geografia.php

http://www.ibge.gov.br/

Notas.

[1] Ultimamente a tendência não separa a geografia física da humana, e sim trabalham-nas em conjunto, visto que o substrato natural é onde o homem atua para satisfazer suas necessidades.

[2] Uso o termo maior, porém o correto é mais populosas, pois que me refiro à população e não a área. A opção por maior parte do princípio de popularizar o post.

Vejam também:

As 10 menores cidades do estado de São Paulo

As 10 menores cidades do Brasil

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada