terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Os supercontinentes


Muito se fala da Pangéa, um supercontinente que englobava toda terra emersa do planeta. Esquecem-se que houve outros antes dela. Vejamo-os.
Através da tectônica das placas os continentes nunca pararam, nessa eterna "dança", por várias vezes eles se juntaram, algumas vezes num único bloco, outras vezes formaram massas continentais.
O mais antigo agrupamento de continentes constado foi a formação de três blocos continentais há 2 bilhões de anos. Tratava-se de Ártica, Atlântica e Ur, na verdade poderiam ser chamados de microrcontinentes.
A cerca de 1 bilhão de anos atrás a cofiguração tornou a mudar, agora sim surge o primeiro supercontinente - Rondínia - rodeado pelo oceano Miróvia. Na verdade eram vários blocos ligados por istmos, alguns blocos formavam grande ilhas bem próximas ao supercontinente.
Depois, em torno de 550 milhões de anos atrás surge a Gondwana, era formada por um enorme bloco continental ligado sutilmente com outros blocos que se chamavam Laurentia-Báltica e Sibéria, todo conjunto formava a Panótia (em grego significa todo sul).
Foi há 340 milhões de anos que as massa começam todas a se juntarem formando, assim, por volta de 230 milhões de anos a Pangéia, rodeada pelo oceano Pantalassa (em grego significa todos os mares).
Com a fragmentação da Pangéia, iniciada há 230 milhões de anos, os continentes começaram a tomar a forma atual, há 105 milhões de anos havia grandes massas continentais separadas umas das outras. A América do Sul estava separada da América do Norte; Austrália, Antártida e Índia eram grandes massas continentais separadas umas das outras.
Essa movimentação não para, daqui a milhões ou bilhões de anos eles voltaram a se chocar e formarão outros continentes.

Fonte:
TEIXEIRA, Wilson [et. al] (org.) Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008. pp. 111-112.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada