quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Terremoto no Haiti

Mapa das atividades sismicas mundiais.
Fonte: Decifrando a Terra, p.44.

A crosta do planeta Terra, que é a parte sólida superficial e possui em média 35 Km, é formada por placas tectônicas que se movimentam.
É essa movimentação que provoca grande parte dos terremotos no mundo.
O movimento das placas é lento, esse movimento faz com que haja um acúmulo de tensão, principalmente nas suas bordas. Chega uma hora que essas tensões atingem um limite fazendo com que ocorra uma ruptura provocando assim um terremoto.
Essa ruptura libera ondas, as duas principais são: ondas P (longitudinais) mais rápida é a primeira que chega a um lugar e ondas S ( transversal) mais lenta, diferem-se também no sentido da propagação de suas vibrações, sendo a primeira vibrando no sentido paralelamente à propagação , ocasionando compressão e dilatação já a onda S vibra transversalmente no sentido perpedicular ao da propagaçao das ondas.
O local da ruptura é chamado de hipocentro ou foco, é essa área de ruptura que determina a intensidade das vibrações emitidas, assim, costuma se chamar de terremotos eventos devastadores e tremorres de terra é usado para eventos de menor monta.
Como podemos notar no mapa o Haiti situa-se em uma região altamente sísmica, ali se encontram duas placas tectônicas. O epicento foi a 15 Km da capital Porto Príncipe e a 10 Km de profudidade com magnitude 7, capaz de derrubar edifícios.
Ainda é cedo para se medir todo estrago, fontes estão falando em 100 mil mortos. Se considerar esse número a tragédia entraria para uma das maiores da história.
Outros grandes terremotos:
China - Shensi (1556) 830.000 mortos - maior mortalidade da história.
Índia - Calcutá (1737) 300.000 mortos.
Portugal - Lisboa (1755) 70.000 mortos - seguido de tsunama devastador, maior terremoto em crosta oceânica.
Japão - Tóquio (1923) 143.000 mortos - seguido de grande incêndio.
Fontes:
TEIXEIRA, Wilson [et. al] (org.) Decifrando a Terra. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008. (inclusive imagem)
LEINS, Viktor; AMARAL, Sérgio Estanislau. Geologia Geral. 14ed. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 2001.
Leitura relacionada.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada