quinta-feira, 29 de julho de 2010

Como regionalizar - formas e critérios de regionalização.


Agrupar partes do espaço geográfico que possuem semelhança é fazer regionalização. Existem órgãos e instituições que através de critérios definem uma forma de regionalização. Com base em dicionários e fazendo as adaptações necessárias reconhece-se como forma a aplicação de um critério que configura determinada região. Os critérios de regionalização são vários, englobando principalmente os naturais e os sociais (leia mais...) a aplicação desses critérios (normas para um julgamento) geram as formas de regionalização.
Em linhas gerais, nada impede que qualquer um (entidade ou pessoa) faça uma regionalização com seus próprios critérios. Porém, são instituições reconhecidas e/ ou órgão públicos que as fazem e as utilizam para atingir uma determinada finalidade. A aceitação e o uso de uma determinada regionalização terá maior ou menor uso e aplicação dependendo do objetivo para o qual a mesma foi feita.
Dessa forma, vemos regionalizações de grandes nomes como a do geógrafo Milton Santos, dentre outras feitas por pesquisadores, ao lado de regionalizações do IBGE ou da Fundação SEADE, que têm uma finalidade prática e atende a um objetivo específico.
A regionalização do IBGE tem como finalidade principal agrupar unidades administrativas levando em conta seus limites para facilitar a execução de políticas públicas e as atribuições econômicas do estado ou da união. A fundação SEADE também faz suas regionalizações conforme seus objetivos socioeconômicos.
Por isso vemos, no caso do IBGE, as macrorregiões, mesorregiões e microrregiões (leia mais..). E no caso da Fundação SEADE, regiões administrativas e regiões de governo. Estas por decreto tiveram seus contornos ajustados para ter correspondências entre seus limites. Veja sobre esse assunto no IBGE.
Referências:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada