segunda-feira, 5 de julho de 2010

Conceitos demográficos essenciais.

Para se estudar a população há necessidade de entender alguns conceitos essenciais. Abaixo segue alguns deles.
Taxa de natalidade. Relação entre o número de nascimentos no período de um ano e o número de habitantes. Para obter essa taxa usa-se o número de nascimentos ocorridos em um ano, multiplica esse número por mil e divide o resultado pela população absoluta.
Taxa de mortalidade. É a relação entre o número de óbitos ocorridos em um ano e o número de habitantes. Como na taxa de natalidade, obtemos a taxa de mortalidade multiplicando o número de óbitos por mil e dividindo o resultado pela população.
Mortalidade infantil. É o número de crianças que morrem no primeiro ano de vida.
Crescimento vegetativo (ou natural).É a diferença entre o taxa de natalidade e a taxa de mortalidade, p. ex.: Crescimento vegetativo=taxa de natalidade-taxa de mortalidade.
Crescimento populacional. Leva-se em conta as pessoas que entram num determinado lugar (imigrantes), as pessoas que saem (emigrantes) e o crescimento vegetativo. Analise que às vezes pode ocorrer que o crescimento vegetativo seja negativo, ou seja, morre mais pessoas que nasce, porém a população cresce devido à entrada de imigrantes. O contrário também pode ocorrer, o crescimento vegetativo pode ser positivo e mesmo assim a população não cresce devido a saída de pessoas.
População absoluta. É o número de habitantes de um lugar (país, estado, etc) independente de sua área. Se há muitos habitante diz-se que é populoso.
População relativa. É a quantidade de habitantes por quilômetro quadrado, verifica-se a concentração população. Para obtê-la, divide-se a população do local pela área onde ela se distribui. Quando se tem muita concentração populacional diz-se que a área é povoada.
Superpovoamento. É um termo ligado as condições socioeconômicas e tecnológicas, relacionando a área ocupada como os recursos socioeconômicos disponíveis. Quando há carência para atender as necessidades básicas da população ocorre um superpovoamento, isso independente se ela é povoada ou populosa. Um bom exemplo ocorre com o Japão e a Bélgica, ambos são países povoados (em torno de 350 hab./Km²) mas não são superpovoados, visto que as condições socioeconômicas são boas.
Referência:
TERRA, Lygia.Geografia geral e do Brasil: o espaço natural e socioeconômico. São Paulo: Modern, 2006.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada