terça-feira, 27 de julho de 2010

Produção mundial de alimentos e a questão da fome.

Thomas Malthus no século XIX temia que a população crescesse mais que a produção de alimentos. Consequentemente isso causaria grandes catástrofes na humanidade, como fome e mortes.
Suas teorias foram reavaliadas, hoje, graças ao incremento de novas tecnologias na área da biologia e da agropecuária, maquinários e mudanças no padrão populacional há muito alimentos nos dias de hoje. Mas, por que ainda existe fome? Essa é uma pergunta é mais difícil de responder. Temos que entender que os alimentos não servem apenas para nos alimentar. Eles são mercadorias e nos dão lucro, ou seja, geram dinheiro para atender outras necessidade além das alimentícias.
Com isso, muitas partes do mundo produzem alimentos até excedentes para sua população, porém esses alimentos não chegam a eles porque são vendidos para quem pode comprá-los.
Assim, certas regiões padecem de falta de alimentos enquanto em outras pessoas morrem por problemas de obsidade provocados por excesso de alimentação.
População e alimentos ainda mantêm uma certa relação, mas bem diferente daquela que Malthus pregava.
A tabela abaixo mostra a produção per capita de alimentos por regiões. A coluna base refere-se ao período de 1979-1981, todos os números são 100,0%. As outras colunas apresentam variações para mais ou para menos. Através dessa tabela é possível notarmos que a produção de alimentos no último quartel do século XX é suficiente para a população na maioria absoluta das regiões.
Nota-se então que o problema da fome está mais relacionado com a distribuição/aquisição de alimento do que com a produção propriamente dita.

Referências:

VENSENTINI, José Willian. Geografia geral e do Brasil. vol. único. São Paulo: Ática, 2007.

São Paulo (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do professor: geografia, ensino fundamental.8ª série, vol. 3. Maria Inês Fini (org). São Paulo: SEE, 2009.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada