domingo, 12 de setembro de 2010

Diferenças entre massas de ar e frentes.

Esquema de uma frente fria. Imagem: Atmosphere.

Não raro, acontece de nos deparmos com esses termos em livros didáticos ou numa aula expositiva e quase sempre pode pintar alguma dúvida.
Vale lembrar que quando trabalhamos com conceitos pode acontecer sutis diferenças dependendo do autor ou da obra consultada. De todo modo, são diferenças que não se contradizem.
Massa de ar.
Diz de uma unidade aerológica (uma porção da atmosfera) com uma extensão considerável que tem características térmicas e higrométricas homogêneas. Sua extensão é horizontal e vertical variando de centenas a milhares de quilômetros.
Para se formarem necessitam de superfícies planas e baixa altitude, correspondem a essas característica os oceanos e as planícies. De modo geral, elas se originam em regiões onde a circulação atmosférica é mais lenta e estável, nas altas pressões subtropicais e polares.
Quando uma massa de ar se desloca ela influencia a região por onde passa e também recebe influência, ou seja, suas características originais vão se perdendo.
Frentes.
É uma zona superficial de descontinuidade térmica, anemométrica (direção e força dos ventos), barometria (pressão), higrometria, etc. Formam-se quando duas massas de ar com características diferentes se encontram.
"Essa superfície de descontinuidade ou transição é estreita e inclinada, sendo que nela os elementos climáticos apresentam variação abrupta. Denomina-se frontogênese o processo de origem das frentes, e frontólise sua dissipação." [1]
Referência:
MENDONÇA, Francisco; DANNI-OLIVEIRA, Inês Moresco. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2007.
[1] MENDONÇA, Francisco; DANNI-OLIVEIRA, Inês Moresco, 2007. p.102.
Sugestão para aprofundamento de estudos:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada