sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Leitura de imagens de satélites em geografia - o sensoramento remoto.

As imagens de satélites são de extrema importância para o mundo atual, através delas é possível obter várias informações e imagens da superfície terrestre. Dentre as suas utilidades destacam-se: uso militar, previsão do tempo, queimadas, desmatamentos, produção agrícola, características geológicas e recursos hídricos.
A obtenção de imagens da superfície da terra vista do alto é do tempo em que o homem ainda não havia descoberto uma forma de sobrevoar o planeta, o objetivo principal que motivou a obtenção dessas imagens foram os conflitos e as guerras. Através delas era possível identificar os alvos inimigos, chegaram a usar pombos com máquinas fotográficas no peito para fotografar posições inimigas. Muitos pombos eram abatidos, mas os que voltavam forneciam boas imagens para serem estudadas e usadas.   
Imagem de pombo com câmara fotografica acoplada no peito.
Depois as imagens aéreas passaram a ser obtidas com balões, e daí por diante foram evoluindo. O uso do avião deu um grande impulso nessas imagens, de modo que era possível mapear grandes extensões da superfície terretre.
Mas foi com a advento dos satélites que praticamente popularizou as imagens da Terra vistas do espaço. Um satélite é qualquer objeto que orbita um planeta, pode ser natural (a Lua, por exemplo) ou artificial. No caso, estamos nos referindo aos satélites artificiais. Instrumentos construídos pelos homens com várias capacidades: transmisão de dados e informações, localização geográfica, imagens, etc. O primeiro satélite construído pelo homem foi o Sputnik, feito pelos soviéticos em 1957.
Aspecto do Sputik, primeiro objeto feito pelo homem a orbitar a Terra. (Imagem cedida pela Nasa)   
No caso dos satélites que operam capturando imagens esse processo se dá de duas formas:
Ativos.
" Estes sistemas utilizam REM artificial, produzida por radares instalados nos próprios satélites. Estas ondas atingem a superfície terrestre onde interagem com os alvos, sendo refletidas de volta ao satélite. Uma vantagem dos sensores ativos é que as ondas produzidas pelos radares atravessam as nuvens, podendo ser operados sob qualquer condição atmosférica. Uma desvantagem é que o processo de interação com os alvos não capta, tão detalhadamente quanto os sensores passivos, informações sobre as características físicas e químicas das feições terrestres."
Passivos.
"Utilizam apenas a REM  natural refletida ou emitida a partir da superfície terrestre. A luz solar é a principal fonte de REM dos sensores passivos."
Obs.: REM quer dizer Radiação Eletromagnética.
Todas as imagens de satélites que vemos são trabalhadas e corrigidas para facilitar a leitura para todos os públicos. São feitas correções radiométricas, geométrica e atmosféricas. As cores também são alteradas, as fotos obtidas são na realidade uma escala de cinza. As imagens passam por correções de realce, constraste e cor para ficar como nós as conhecemos.
Depois de todo esse processo é possível identificarmos regiões com maiores focos de urbanização, onde normalmente há uma maior concentração de pessoas, queimadas, áreas agrícolas, etc.
Esse mapa noturna da Terra (uma montagem que culminou com a Terra toda vista à noite) permite-nos analisar as áreas onde se concentram as grandes cidades, ou seja, as áreas  com grandes concentrações urbanas. Visivelmente em praticamente toda Europa, Nordeste dos EUA, Japão, Leste-Sudeste da China, partes da Índia e parte do Sudeste do Brasil. 
Atualmente existem vários satélites que permitem imagens como essa, além de outras informações, as principais séries de satélites de Sensoramento Remoto são: LANDSAT, SPOT, CBERS, IKONOS, QUICKBIRD e NOAA.
Características do satélite Landsat 1.

Referências:
Conceitos Básicos de Sensoramenteo Remoto. Conab - Companhia Nacional de Abastecimento.
Como funcionam o satélites. HowStuff.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada