sábado, 14 de janeiro de 2012

Um bom mapa. A comunicação imediata de um mapa.

Um mapa sempre será uma representação incompleta de um terreno, não dá para se fazer um mapa com uma representação fiel de um determinado espaço terrestre. Porém existem bons mapas capazes de transmitir informações as quais procuramos. A qualidade de um mapa está relacionada justamente à capacidade de transmitir as informações as quais procuramos em um menor tempo possível.
"A grande vantagem do mapa é permitir representar num plano os objetos observados sobre a superfície terrestre, ao mesmo tempo na sua posição absoluta e nas suas relações em distâncias e em direções." 
As projeções.
Na tentativa de aproximar a forma esférica da Terra e a forma plana do mapa foram criadas as projeções cartográficas. De forma bem resumida podemos classificar as projeções em: conforme, equivalentes, equidistantes, azimutais e afiláticas. De modo geral, todas apresentam alguma distorção, a escolha de uma ou de outra dessas projeções dependerá do fenômeno e do lugar o qual deve ser representado.
Os tipos de mapas e os mapas temáticos.
Dentre os tipos de mapas destacam-se: 
  • Mapas físicos - mostram as diferenças de altitudes, a diversidade do relevo e as redes hidrográficas;
  • Mapas políticos - representam as divisões políticas do planeta, países, estados e cidades; e
  • Mapas temáticos - são mapas que possuem um tema principal e são feitos utilizando-se de outros mapas de base.

Existe uma grande variedade de mapas temáticos que representam muitos fenômenos e ocorrências. A clareza desses mapas dependerá do uso adequado do título, da escala e da legenda, que são elementos essenciais de um mapa (mas não únicos). As cores utilizadas na legenda e a simbologia são imprescindíveis para uma melhor leitura do mapa. Dessa forma: "A execução de um mapa com informações quantitativas dever possuir tons diferenciados, do mais claro, ou hachuras mais espaçadas, para valores menores, até tons mais escuros, ou hachuramento mais denso, para valores maiores."  
Mapa múndi temático com variações de tonalidades de verde para melhor representar valores.
A questão da escala.
Dependendo do lugar ou do fenômeno que se pretende representar a escala se torna muito importante. Um mapa múndi não possibilita analisar uma região pequena na superfície, uma cidade por exemplo. Além disso, dependendo do lugar no mapa a escala pode sofrer alterações, nas proximidades do equador a mesma distância representada no mapa apresenta-se mais extensa na superfície real.
Nota-se que uma distância igual traçada em vários lugares desse mapa possui, na superfície real, extensões diferentes, próximo a linha do equador a extensão é maior que nos polos. 
Referências:
FITZ, Paulo Roberto. Cartografia básica. São Paulo: Oficina de Textos,2008.
JOLY, Ferand, A cartografia. Campinas: Papirus, 1990. 
São Paulo (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do Prof. 1º ano ensino médio, vol. I coord. Maria Inês Fine. São Paulo: SEE, 2009      

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada