quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Atividades sísmicas e estrutura interna da Terra.

Representação de um epicentro de terremoto. Imagem: Apologista.
As atividades sísmicas são resultado da movimentação das placas tectônicas que provocam milhares de terremotos pelo mundo.
Um terremoto é um movimento da crosta provocado pelo acúmulo de tensão. O lento movimento acumula tensão, quando elas atingem o limite há uma ruptura e um movimento repentino, provocando vibrações.
O termo terremoto é mais utilizado quando ocorre tremores altamente destrutivos enquando que para eventos menos destruidores usa-se o termo tremores de terra.
Ondas sísmicas.
São essas ondas que propagam as vibrações em todas as direções. Como exemplo houve um terremoto na Argentina/Bolívia cujo epicentro estava numa profundidade de 280 Km com magnitude 6.4. As ondas provocadas por esse tremor foram sentidas na cidade de São Paulo.
Como o chão vibra?
Num meio sólido há dois tipos de vibrações sísmicas que se propagam em todas as direções, são as ondas longitudinais (P) e as transversais (S). As ondas (P) longitudinais provocam deformação, dilatação do meio e as ondas (S) transversais são responsáveis pelas deformações tangenciais.
Por isso, as ondas (P) chegam primeiro e as ondas (S) por último. Porém, a velocidade dessas ondas depende do meio no qual elas se propagam. Quanto maior a densidade da rocha maior a velocidade da onda. Essa propriedade é que colabora para os estudos indiretos do interior da Terra.
Estrutura interna da Terra.
As evidências que permite-nos estudar o interior do planeta são indiretas. O homem só perfurou 12 Km da crosta, o que não significa muita coisa visto que o raio médio da Terra é de 6.370 Km.
São as direções de propagação das ondas sísmicas nos diferentes materiais com densidades heterogêneas que nos permite entender a composição interna do planeta. O que sabemos sobre a crosta, o manto e o núcleo interno e externo se deve às análises das propaações de ondas sísmicas, visto que elas mudam de direção e velocidade ao passarem por materiais de composição diferente.
Crosta.
Camadas externa da Terra, espessura em torno de 25 a 50 Km nos blocos continentais e 5 a 10 Km nos fundos oceânicos. Na crosta as ondas (P) oscilam de 5,5 Km/s a 7 Km/s. Logo abaixo da crosta notas-se o aumento de velocidade da onda (p) que passa para 8 Km/s a 13,5 Km/s até a profundidade de 2.950 Km, região conhecida como manto.
A onda (P) sofre uma interrupção à distância de 105º e o atraso da onda que toca o núcleo externo e que volta (onda PKP) entre 120º e 180º, caracterizando uma zona de sombra. Essa região em profundidade maiores que 2.950 Km é o núcleo da Terra , dentro desse núcleo existe um núcleo interno. O núcleo externo é líquido, pois que as ondas (S) não se propagam, por isso também as ondas (P) são bem menor do que as do manto sólido. Tem-se, assim, a comprovação que a densidade do núcleo é bem maior que a do manto.
Ondas (S) não se propagam em meios líquidos e gasosos, só se propagam em sólidos.

Referência:
TEIXEIRA, Wilson (et. al) Decifrando a Terra. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 2008.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não encontrou o que queria? Pesquise na web.

Pesquisa personalizada